INTRODUÇÃO AO HATHA-YOGA PRADIPIKA

Hatha Yoga Pradipika é uma das principais escrituras dentro da cultura do hatha-yoga que fala diretamente de técnicas, diferente do Bhagavad-Gita ou os Sutras de Patanjali que estão mais ligados a questões de cunho filosófico. Datada um pouco antes do século xv, Pradipika significa ” luz brilhante” e também “comentário”. O autor Svatmarama Yogendra, parece ter sido um adepto da ordem Kanphata yoga. Logo no inicio do livro após reverenciar Senhor Siva, o autor declara ter aprendido essa ciência tão profunda através de seus mestres Goraksha e Matsyendra.

Goraksha foi guru de Matsyendra e é tido como um grande lider, pertencente a tradição dos Natha yogis, tradição essa que tem o senhor Siva como o “Adi” primeiro dos Nathas,  por isso  citado pelo autor como Adhinatha. Uma peculiaridade importante entre os Nathas são suas vocações para poderes místicos (siddhis), por isso chamados de Mahasiddhas. Uma escritura com muita influencia não só do yoga em si, mas principalmente do Tantra devido a sua natureza de valorização do corpo como veiculo de elevação espiritual.

Os quatro capítulos se dividem num total de 384 versos, com uma abordagem muito abrangente e segura, vejamos:  nomes dos grandes yogis místicos Mahasiddhas, asanas, ambiente, dieta e hábitos adequados para a pratica, técnicas de pranayama e efeitos, bandhas (contrações musculares em diferentes pontos), mecanismos de purificação física (Satkarma), mudras (técnicas similares aos asanas com efeito energético profundo) e técnicas de intimidade sexual onde são exploradas alguns mecanismos de reabsorção seminal e fluido feminino para elevação e equilíbrio energético (Vajroli) estando diretamente ligado  a elevação da energia da Kundalini, que representa a grande energia ascendente do individuo.

É  claro que questões mais esotéricas como Kundalini, Shakt (potencialidade vital), os nadis (canais energéticos), granthis (pontos de densidade energética que precisam ser suplantados) são muito bem desenvolvidos pelo autor.

E  por fim, temas mais profundos são discutidos como Raja-yoga, Laya yoga (o estado de dissolução)  e Samadhi.

“  Há muitos que são apenas Hatha-yogis e não permeiam o Raja-Yoga. Pois esses são praticantes amadores que nunca alcançam o resultado profundo de seus esforços.”

Hatha yoga Pradipika   Cap. 4, verso 79

Sendo um livro técnico e pratico Svatmarama sempre estabelece o propósito de todo esse conjunto de atividades que culmina no “Raja-yoga”, esse conceito foi bem definido por Patanjali no Yoga Sutra como os três últimos degraus do processo do yoga, ou seja, concentração, a meditação e por fim o transe; já no Bhagavad-Gita krishna afirma para Arjuna no capitulo 9 que o Raja-yoga é o rei da educação e o mais secreto de todos os segredos,  por dar a percepção direta do “Eu” a alma espiritual.

O samadhi é descrito pelo autor em diferentes momentos de seus registros, nos últimos versos o conceito de samadhi é descrito como um transe onde o praticante não sofre mais influencia do tempo, não recebe mais informações através dos sentidos, e  a mente não está desperta nem adormecida, pois o yogi está além de qualquer influencia.    Om Tat Sat….

Anúncios