Propósito

Propósito é uma palavra interessante a ser explorada num método de autoconhecimento que aparentemente é tão físico como ashtanga yoga. Sempre enfatizo para os meus alunos mais dedicados que é importante ter sempre fresco na mente o verdadeiro motivo de estar ali expondo seu corpo a sensações diversas durante a pratica. Afirmo com muita segurança que o resultado real dessa prática é abrir e tonificar o corpo para sensibilizar a mente para acessar a real consciência, para a compreensão do que é verdadeiro dentro de cada um! É um caminho gradual na qual suplanta os sentidos, a mente, o ego e por fim, a luz  permeia regiões escuras adormecidas dentro de nós. Para nos revelar o prazer e satisfação que muitas vezes nunca foram experimentadas.

Posso dar meu próprio exemplo:

” as dores e lágrimas que já derramei durante meu caminho espiritual faz com que eu possa acolher e perceber mais as dificuldades dos alunos. Em contra partida, minhas conquistas advindas da dedicação diária, também me dão energia para impor (com amor e tato) uma  força que muitas vezes estão adormecidas nos alunos.”

É incrível a adversidade que acontece numa pratica de asanas repetitiva, pois a cada dia novas experiências vão aparecendo num mesmo asana, como se todos os dias você passasse por uma estrada na qual sempre há novos horizontes a se observar. Isso é lindo, é a maior prova da infinidade do nosso eu, das complexidades de nossas amarras e padrões. E ao mesmo tempo, a tamanha oportunidade de se conhecer como algo tão sublime e profundo!

Como se a pratica se reinventasse para dar a oportunidade de se tornarmos seres novos a cada dia, mesmo que em dias de acesso mais profundo nos deparamos com aspectos que não nos faz sentir orgulho de nós mesmo. Mas são esses momentos de dor e decepção conosco que são a chave da sabedoria para um praticante humilde.

As nuvens enchem o céu para dar a oportunidade de valorizar o seu azul.

Também existe o outro lado da moeda, os dias que seu corpo responde as suas expectativas, que sua respiração flui como a quebra das ondas e o espaço é explorado com sensibilidade e amor, sabendo que a água de coco te espera num dia de sol ensolarado.

É assim, com amor e dor, com tristeza e abertura, as polaridades de experiencias diárias deixa o praticante cada vez mais fiel e devotado, sensível e amável. Consciente e presente.

Abraços forte.

Junior (Jay Gauranga)

Anúncios