DE VEDA AO VEDANTA: O ENTENDIMENTO DE UM VERDADEIRO SER.

O termo “veda” (do sânscrito) significa saber, conhecer. Ou seja, conhecimento acerca de algo. Mas para um entendimento mais apropriado é preciso olhar para o termo “veda” não como um titulo avulso, e sim uma cultura, a “cultura védica”, cultura essa que tinha o “yoga” no sentido literal  “união com o Supremo” como base para o estilo de vida. São escritos considerados revelados por Deuses (Sruti) e por isso que o sânscrito também é chamado de “Devanagari”  a língua dos deuses.      Existem quatro principais coletâneas (sanhitas) consideradas a base da literatura védica: Rg-veda é o mais antigo datado com 7000-4000 A.C., Ayur-veda, Sama-veda e Atharva-veda. São escritos compostos de hinos, formulas de sacrifícios, ritos, melodias e magias; muitas vezes direcionados para os diferentes deuses como Indra, Varuna, Agni,etc. O sacrifício de Soma, esta muito presente nessa literatura, soma é uma bebida fruto de um ritual que tinha como intuito a elevação aos planos celestes.O sacerdote brahmana também é um sujeito de destaque nos escritos.

Com o passar dos séculos comentários desses escritos, historias antigas como o Maha Bharata onde está contido o Bhagavad-Gita, discursos e relatos de Lideres espirituais; tudo constituem o que é titulado hoje como literatura védica e pós-vedica. Podemos citar inúmeras escrituras como: Brahmanas, Aranyakas, Puranas, Upanishads, Itihasas, Pancharatras, Sutras, e assim em diante, mas a idéia não é se aprofundar nisso, e sim abordar o propósito de todo esse material, o cerne da questão! “A elevação espiritual…” é nesse momento que aparece o termo “anta” (do sânscrito) significa fim, essência.

Vedanta é o conhecimento que vai tratar de assuntos referente a  Brahman, a energia espiritual, sendo classificada  em dois seres distintos quantitativamente: Jiva-atma, a alma infinitesimal (somos nós), e Param-Atma, a alma Suprema (Deus). São energias qualitativamente iguais, porém quantitativamente diferentes. O conceito de qualidade x quantidade foi muito discutido por lideres importantes na historia da Índia como Sri Shankaracharya, Sri Ramanujacharya, Sri Madhvacharya e Sri Caitanya Mahaprabhu. E suas ideologias e conceitos a cerca do Brahman geraram escolas e pensamentos muitas vezes distintos sobre o mesmo tema. O ponto crucial desse texto é  a conexão da alma com Deus, yoga, é desintegrada a partir do momento que ela sofre influencia de uma terceira energia divina, porém inferior, prakriti a matéria. Quanto mais inserida na energia material, mas vulnerável fica a conexão entre a alma e Deus.

O vedanta da às informações essenciais sobre esse caminho de re-conexão, assim como no latim “Religare” e hoje temos a palavra religião; e o yoga revela o caminho pratico a ser trilhado de maneira científica  levando o individuo a realizações palpáveis.

Om purnan adah purnam idam purnat purnam udacyate

Purnasya purnam adaya purnam evavasisyate  ( Sri Upanishad)

“A Personalidade de Deus é perfeito e completo, e porque Ele é completamente perfeito, todas as emanações dele, como este mundo fenomenal, estão perfeitamente equipados como conjuntos completos. Tudo o que é produzido do todo completo também é completo em si mesmo. Porque Ele é o todo completo, apesar de tantas unidades completas emanam de Deus, Ele continua a ser o equilíbrio completo.”

Mesmo sendo escolas ortodoxas separadas, o Yoga e o Vedanta estão sempre juntos complementando uma à outra. Sendo veda ou vedanta, Upanishadi ou Purana, advaita ou dvaita; o importante é o quanto conseguimos realizar a conexão entre nosso verdadeiro ser com o ser Supremo. Pois assim como um órgão não faz sentido fora do corpo, e o próprio corpo não é funcional sem o órgão, a perfeição esta na união completa do infinitesimal com o Supremo, do amo com o amado. O conhecimento é absoluto e completo, mas a realização do mesmo está na simplicidade das relações, na devoção ao sagrado, no entendimento de que nossa integridade esta diretamente ligada a qualidade de nossas praticas espirituais e a elevação do nosso amor por algo maior.

Tapah-svadhyayesvara-pranidhanani kriya-yogah ( Yoga Sutra,2.1)

“Yoga da ação é austeridade, estudo dos vedas e devoção a Deus.”

Borá praticar e ser feliz? Om Shant…

Junior (Jay Gauranga)

Anúncios